PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

Mogi-Bertioga é liberada para o tráfego de veículos

rodovia Mogi-Bertioga
Foto: DER

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

Trechos da rodovia estavam interditados depois das chuvas da última quinta-feira

O DER (Departamento de Estradas de Rodagem), vinculado à Secretaria de Estado de Meio Ambiente, Infraestrutura e Logística, liberou no final da tarde terça-feira (30), o tráfego de veículos na Rodovia Manuel Hyppolito Rego (SP 098), a Mogi-Bertioga, em Mogi das Cruzes, interditado desde a quinta-feira (25) devido a um deslizamento de pedras do talude na altura do km 084 da rodovia. A interdição ocorreu entre o km 77 e o km 98.

As equipes do Governo de São Paulo realizaram serviços de remoção de terra, poda de árvores e retirada de pedras que se desprenderam do talude. Retirada de pedras com risco de queda, que estavam presas no talude, e a limpeza geral. Também foi feita a fragmentação de rochas com rompedor, jateamento em pedras soltas no topo do deslizamento e ⁠vistoria geotécnica.

Nesta terça-feira (30), as equipes do DER realizaram serviços de remoção de materiais com apoio de escavadeira hidráulica; roçada e limpeza do material no talude, com rapel; jateamento, limpeza, lavagem da pista e renovação da sinalização horizontal. Também foram instaladas estruturas de concreto (malotes) para conter o impacto de pedras.

O DER informa que a maior pedra implodida possuía aproximadamente 10 metros de comprimento; 3 metros de largura; e 3 metros de altura. Além dessa implosão, foi necessário realizar outras três implosões de pedras menores, de dimensões não especificadas. Nos próximos dias, devido aos serviços que serão realizados, outras implosões serão necessárias. Até terça-feira (30), foram retirados do local cerca de 800 metros cúbicos de materiais, principalmente pedras que deslizaram do talude.

Medidas preventivas

Nesta época do ano, o DER intensifica o monitoramento das encostas às margens das rodovias sob a gestão estadual. O objetivo é identificar eventuais riscos aos usuários e tomar as medidas corretivas necessárias para evitar acidentes e interferências ao tráfego.

Para ampliar o controle nas operações, a equipe técnica do DER dispõe de um cadastro detalhado dos pontos de erosão, o que permite acompanhar de perto os locais com maior risco de ruptura. O DER também realiza medidas preventivas durante os serviços rotineiros de conservação, envolvendo a limpeza dos sistemas de drenagem e desobstrução das linhas de tubo de escoamento das águas pluviais.

Os profissionais das UBAs (Unidades Básicas de Atendimento) realizam ainda inspeções nos trechos considerados críticos, 24 horas ao dia, para intervenções imediatas, quando necessárias.

O DER também finaliza os estudos para a implementação de soluções de engenharia em 94 pontos considerados mais complexos.

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.