PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

São Paulo prorroga obrigatoriedade do uso de máscaras até o final de janeiro

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

PUBLICIDADE

Retirada do item em áreas públicas foi suspenso após surgimento da variante ômicron

O Governo de São Paulo anunciou hoje (20) a prorrogação, até o dia 31 de janeiro de 2022, da obrigatoriedade do uso de máscaras faciais contra vírus respiratórios em espaços coletivos no estado.

“A utilização da proteção facial segue vigente em São Paulo e será mantida em virtude da necessidade de manter hábitos preventivos e complementares à vacinação, contribuindo para minimizar o impacto tanto da covid-19 e suas variantes quanto do vírus Influenza, causador da gripe”, diz texto de nota do governo.

Não usar máscaras de proteção em locais públicos acarreta multa de R$ 552,71 por pessoa física e de R$ 5.294,38 por estabelecimento, conforme resolução estadual em vigor. Desde o início da obrigatoriedade do uso do equipamento de proteção, em 1º de julho de 2020, as equipes do Centro de Vigilância Sanitária (CVS) estadual fizeram 536.887 inspeções que resultaram em 10.476 autuações relacionadas ao descumprimento de normas sanitárias.

Segundo o governo paulista, o estado tem hoje 78,49% da população com esquema vacinal completo contra covid-19, com duas doses da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan, da Astrazeneca/Oxford, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e da Pfizer/BioNTech, além da dose única da Janssen.

Se considerada apenas a população adulta, São Paulo tem hoje de 95,4% das pessoas vacinadas.

A gestão estadual chegou a anunciar a retirada da obrigatoriedade do uso de máscaras em locais abertos a partir de 11 de dezembro, mas recuou após o surgimento da variante ômicron.

(Com informações da Agência Brasil)

PUBLICIDADE

Tópicos
Compartilhe
Veja também
SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE

PUBLICIDADE