PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

Alegria e emoção marcam 1º Casamento Comunitário de Arujá

Casamento Comunitário de Arujá (3)
Foto: Wellington Alves

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

15 casais puderam selar o laço matrimonial com uma festa no Clube União Arujaense

Após anos de espera para realizar o sonho de se selar as suas uniões, 15 casais celebraram o 1º Casamento Comunitário de Arujá, no Clube União Arujaense, na avenida Amazonas, no Centro, neste domingo (27), com a presença de cerca de 300 convidados. O evento foi realizado em parceria pela Secretaria Municipal de Assistência Social e o Fundo Social de Solidariedade.

 O prefeito de Arujá, Luis Camargo (PSD), e a primeira-dama, Clau Camargo, foram escolhidos pelas noivas como padrinhos dos casais. A cerimônia teve banda, dama de honra e pajem, floristas, mesa de bolo e buffet. Antes da celebração, os participantes se casaram no Cartório de Arujá. Não houve nenhum custo para eles.

A cerimônia, que foi conduzida pelo juiz de paz Claudinei Teixeira, que veio de Minas Gerais especialmente para o evento, de forma gratuita, teve a tradicional Marcha Nupcial de Mendelssoh tocada por músicos voluntários, o famoso “Sim” dito pelos casais, a troca de alianças, o beijo que selou as uniões, fotos, vídeos e buffet para os noivos e convidados.

Um dos casais que participou do evento foi o pintor automotivo Josué Antônio da Silva, 48 anos, e a dona de casa Valdirene Aparecida do Rosário Silva, 48, que moram juntos há cinco anos no Mirante. Eles disseram que sempre quiseram celebrar o casamento, mas não tinham condições financeiras.

“Eu trabalhava um pouco a frente da casa dela e criei coragem para conhecê-la. Foi uma coisa de outro mundo, sensacional. Não esperava que seria uma festa de tamanha proporção”, disse Josué.

Os noivos também ganharam um edredon, que foi um presente doado por intermédio de uma vaquinha entre funcionários da Prefeitura.

Voluntariado

Antes da cerimônia, as noivas tiveram um Dia da Noiva no Fundo Social, com massagem, maquiagem, unha, café da manhã e almoço.

“Todos os profissionais vieram de forma voluntária. Agradeço a todos que nos ajudaram demais. Tem casais que estão juntos há 33 anos, que não casaram não porque não quiseram, mas porque não tinham condições financeiras. Vamos fazer o Casamento Comunitário novamente no próximo ano”, comentou Clau Camargo.

Outros três casais também selaram a união no cartório, mas não tiveram condições de participar do Casamento Comunitário por questão de trabalho.

O prefeito ressaltou a importância do voluntariado para as ações sociais da Prefeitura. Ele se lembrou de seu pai, Luiz de Camargo, que morreu em 2018. Ele disse que em 2016, quando disputou a Prefeitura pela primeira vez, o seu pai lhe fez um ensinamento importante.

“Ele no primeiro momento estranhou, porque eu nunca havia comentado minha pré-disposição na vida pública. Ele me chamou e disse. Meu filho, o pai te apoia, mas você tem que ter propósito, que deve ser cuidar das pessoas. Em 2020, conseguimos nos eleger e trouxemos o slogan Cuidando das Pessoas”, afirmou.

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.

Tópicos
Compartilhe

Veja também

SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE. ANUNCIE AQUI.