26 C
Arujá
segunda-feira, 10 de agosto de 2020
Início Colunas Autoestima Autoestima: por que é importante?
- PUBLICIDADE - Error: Embedded data could not be displayed.

Autoestima: por que é importante?

- PUBLICIDADE -

Essa é uma característica fundamental para o seu bem-estar emocional

Vivemos falando sobre autoestima, autoconfiança, autoconhecimento e muitos outros “autos” que interferem diretamente na maneira como nos comportamos, agimos e pensamos no dia a dia.

Mas você sabe exatamente o que é autoestima? Sabe se aproveitar dela para ter uma vida melhor? Se não se sente tão confiante, você sabe como elevar a sua baixa autoestima?

Entre livros, terapias, dicas e muita conversa sobre o tema, irei trazer aqui neste artigo um pouco mais de informação para você que busca ter a autoestima como característica fundamental para o seu bem-estar emocional.

O que é a autoestima?

Autoestima é sua autoimagem, como você se vê, como você confia em si mesmo para conseguir resolver os desafios. Ela é construída a partir das experiências pessoais, das emoções, comportamentos, da imagem falada que os têm sobre nós.

Ou seja, ela é um valor que você atribui a si próprio como forma de avaliação física e mental, além da questão de aceitação, que reflete nas nossas atitudes diárias e equilíbrio emocional.

Além disso, a autoestima é definida a partir das experiências passadas, influencia os comportamentos atuais e determina como serão aqueles futuros.

Tripe da autoestima

Nas minhas pesquisas e experiências percebi que para ter uma autoestima elevada é necessário possuir um tripé:

Saber qual é sua origem: Você sabe de onde você veio, qual é a sua origem? Nossa origem é a mesma de todos os seres vivos na terra, nossa origem é Divina, foi Deus que nos fez e nos fez maravilhosos, por isso valorize sua origem.

Autoconhecimento: Você sabe quem você é? Sabe me dizer quais são seus gostos, quais são seus sonhos, quais são suas motivações, o que te deixa triste? É de extrema importância saber quem somos, para aceitar e fazer o que gostamos e rejeitar o que nos faz mal.

Conhecimento específico: Quais são suas habilidades? No que você é realmente bom? E quais seus pontos fracos? O que você ainda precisa se desenvolver. Como melhorar se não saber o quê?

Autoestima Elevada

Quem tem boa autoestima costuma apresentar os seguintes comportamentos:

  • Facilidade para mudar: não costumam conviver com pessoas ou ambientes negativos ou desfavoráveis;
  • Confiam em si: não costumam levar em consideração o julgamento de outras e absorvem apenas o que pode lhe render frutos positivos;
  • Lidam bem com seus pontos fracos: fraquezas ou defeitos são aspectos para serem superados e não vitimados;
  • Cuidam de si: em geral, buscam bons hábitos alimentares, praticam atividades que favorecem a saúde e os cuidados com o corpo;
  • Tomam atitudes: a autoestima funciona como combustível para não ficar em cima do muro ou com dúvidas sobre qual caminho seguir;
  • São seguras: por se sentir bem consigo próprio, não costumam se autoafirmar por suas qualidades ou feitos;
  • Nem modesto, nem arrogante: arrogância é uma condição de supervalorização e a modéstia é de inferiorização;
  • Lidam bem com a solidão ou o desapego: procuram compreender certos afastamentos, do que impedir ou sofrer por isso;
  • Sabem dizer não: não tem vergonha ou sentimento de injustiça ao negar algo a alguém, buscando sempre ter uma atitude justa consigo e com os demais.

Baixa autoestima

Ter baixa autoestima reflete em uma série de comportamentos que podem, a longo prazo, ser prejudiciais para o desenvolvimento pessoal e profissional. Uma pessoa com baixa autoestima pode, por exemplo, ter dificuldade em dizer não, desenvolver compulsão alimentar e até mesmo se sentir inferiores e incapazes.

É importante prestar atenção aos mínimos sinais que a baixa autoestima pode apontar na sua vida, para que você possa o quanto antes tentar trabalhar isso com ajuda adequada.

Entre as principais características das pessoas com baixa autoestima, podemos perceber:

  • Falta de confiança: não acredita no seu potencial para executar e conquistar algumas funções ou tarefas;
  • Timidez em excesso;
  • Medo de ser rejeitado;
  • Não sabe receber críticas;
  • Competitivo com os outros e está sempre se comparando;
  • Perfeccionismo;
  • Não possuem amor próprio;
  • Não reconhece suas vitórias e sucessos.

Como melhorar a autoestima?

Agora você deve estar se perguntando como você pode aumentar a sua autoestima, não é mesmo?

Além da ajuda de um especialista, é preciso saber que há outros caminhos que você pode começar a experimentar e pôr em prática, que vão lhe ajudar em seu crescimento pessoal e na difícil tarefa de entender que é possível aceitar a si mesmo.

O primeiro passo é você acreditar que tentar aumentar a sua autoestima é bom para você e para as pessoas que estão ao seu redor, e sem dúvidas vai fazer você sentir que é possível se tornar a pessoa que você gostaria de conhecer.

Se este artigo foi útil para você, me acompanhe aqui a cada 15 dias.

*Priscila Brescindi é escritora, palestrante motivacional, youtuber e digital influencer. Conheça mais em: https://www.youtube.com/watch?v=_0vEiJPMMjg

- PUBLICIDADE - Error: Embedded data could not be displayed.

Mais lidas

Venda de gás de cozinha, acima de R$ 70, está irregular e deve ser denunciada

Consumidor deve denunciar locais que vendam gás de cozinha com preço abusivo. O Procon de São Paulo orienta os...

Posto de gasolina de Arujá é investigado por maior fraude em operação estadual

Operação Olhos de Lince, do Ipem, multou 63 postos de gasolina no Estado O Ipem (Instituto de Pesos e...

Colapso de leitos na Grande SP deve ocasionar lockdown em Arujá

Fechamento dos comércios não essenciais está mantido até o final do mês O risco de Arujá entrar em lockdown...

Confira os feriados e pontos facultativos em Arujá em 2020

Aniversário de Arujá e Corpus Christi caem na mesma semana. Após dois feriados seguidos, de Natal e Ano-Novo, nem...
- PUBLICIDADE -