PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Gabriel dos Santos quer concluir digitalização total da Câmara no próximo mês

Imprensa/CMA
Share on whatsapp
Share on telegram

Presidente do Legislativo de Arujá fala sobre os desafios enfrentados na pandemia

Único homem que pode dizer que comandou a Câmara Municipal de Arujá durante uma pandemia, o vereador Gabriel dos Santos (PSD) se orgulha do trabalho desenvolvido nestes dois anos de mandato. Apesar das dificuldades impostas pela covid-19, o parlamentar deve concluir no próximo mês o projeto Câmara Sem Papel, com a total digitalização da Casa de Leis.

Além da sustentabilidade ambiental garantida pela medida, Gabriel também pretende lançar a Sala Multimídia na Câmara em dezembro. O local servirá para que entidades do município possam promover reuniões e transmiti-las.

Nestes dois anos, Gabriel conseguiu também, com o apoio dos demais vereadores, colocar a sessão noturna, para facilitar a participação da população, e a transmissão das sessões e demais atividades pelo Youtube, o que facilitou a participação dos arujaenses.

Prestes a disputar a eleição para o terceiro mandato como presidente, Gabriel conversou com o Arujá Repórter, falou sobre os desafios enfrentados e comentou sobre a responsabilidade de ser uma autoridade civil negra.

Arujá Repórter – Quando o senhor assumiu a gestão desejava uma maior participação do público na Câmara. Qual é a sua avaliação após estes quase dois anos?

Gabriel dos Santos – Quando assumimos a presidência não existia a pandemia da covid, mas tínhamos a proposta de trazer a população para Casa. Conseguimos naquela oportunidade alterar o horário da sessão para 18 horas e todos foram unânimes. A intenção era aproximar a Casa das pessoas. Depois começou a pandemia e tivemos que fechar a Câmara. Mesmo assim relutei um pouco. Quando não tinha jeito mesmo tive que fechar. Neste período, digitalizamos a Câmara. Hoje é possível a população acompanhar a sessão e interagir pelo Youtube. Colocamos o Diário Oficial Eletrônico e a possibilidade de participação dos vereadores na sessão remotamente. Ainda renovamos a frota da Câmara, com um valor 8% mais barato.

Arujá Repórter – A Câmara de Arujá foi uma das primeiras do Brasil a retomar a sessão presencial. Como foi isso?

Gabriel dos Santos – Foi uma decisão muito difícil de tomar porque temos que pensar primeiro no bem-estar dos servidores. Eu tinha que pesar muito na balança. Garantir condições salubres aos servidores e deixar a Câmara acessível à população. O segundo fechamento eu fui o primeiro a fazer porque tem servidores que vem de fora e corriam o risco de trazer covid para cá ou levar para a casa deles. Agora a Casa está aberta graças a Deus.

Arujá Repórter – Como avalia a maior participação da população pelas redes sociais?

Gabriel dos Santos – A população participando é a melhor coisa que tem. Era insignificante o número de pessoas da população que participava de nossas audiências públicas. Agora eles conseguem participar pelo virtual, é mais fácil. A dona de casa ou o trabalhador no escritório podem acompanhar pelo Youtube e debater as questões da cidade. É um sonho que alcançamos.

Arujá Repórter – Como foi a informatização da Câmara?

Gabriel dos Santos – Nós fizemos uma alocação de notebooks para facilitar a vida dos vereadores. A gente tinha a sessão remota. O vereador pode acessar de onde estiver. Nós fizemos esse trabalho e conseguimos trazer o certificado digital para todos os servidores e vereadores. Queremos implantar ainda neste mandato a Câmara sem papel. Vamos digitalizar todos os papéis.

Arujá Repórter – Ainda dá para alcançar outros objetivos até 31 de dezembro?

Gabriel dos Santos – Queremos chegar vivos, com saúde e agradecer a Deus por estes dois anos que conseguimos superar. Agradecer a Deus por estar vivo. Tivemos muitas vítimas nessa pandemia. Na Câmara, estamos criando também a Sala Multimídia, na Sala de Reuniões, que vai facilitar a vida da população de modo geral. A Câmara é procurada por todos os segmentos da sociedade. A pandemia não foi embora. Temos que estar equipados para dar sequência ao nosso trabalho.

Arujá Repórter – Como vai funcionar a Sala Multimídia?

Gabriel dos Santos – Alguns órgãos utilizam nossa estrutura e eles vão podem direcionar melhor o trabalho. Se uma entidade de classe quiser fazer alguma coisa aqui, ela terá estrutura.

Arujá Repórter – O que espera da eleição para a presidência no próximo mês?

Gabriel dos Santos – Todo candidato quer ganhar e quer ser eleito. É preciso fazer um entendimento com os colegas. Todavia, coloquei o meu nome a disposição para um eventual terceiro mandato. Se a pandemia não vier, podemos implementar mais ações, sempre tendo como prioridade o cuidado com as pessoas desta Casa.

Arujá Repórter – Ontem foi comemorado o Dia da Consciência Negra. O senhor como autoridade do município e negro, como se sente como símbolo para uma comunidade?

Gabriel dos Santos – O negro para o Brasil é difícil. As pessoas insistem em negar o racismo, que é estrutural. Tenho gratidão aos meus antepassados e meus pais que enfrentaram muitos desafios para que eu chegasse a essa posição. Me cobro muito por estar nessa posição: ser negro, de família humilde nessa cidade. Meu pai cortou pedra nessa cidade, eu peguei sacola na feira, para mim é uma grande honra ter alcançado, com o apoio dos colegas, a presidência da Câmara de Arujá. Não sou o primeiro. Tivemos o João Baiano, o Genésio o segundo e eu o terceiro. É um legado para as próximas gerações.

Tópicos
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram
Veja também
SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE