26.5 C
Arujá
quarta-feira, maio 5, 2021
InícioColunasMaternar: Nascimento de Um AmorMoto barulhenta, a inimiga das mamães
- PUBLICIDADE - Error: Embedded data could not be displayed.
- PUBLICIDADE - Error: Embedded data could not be displayed.

Moto barulhenta, a inimiga das mamães

- PUBLICIDADE -

Todo esforço em fazer o bebê dormir vai por água abaixo.

A gente demora séculos para fazer o bebê dormir e em questão de segundos passa uma moto barulhenta e todo esforço vai por água abaixo. Qual mamãe que tem bebê pequeno nunca passou por isso? É extremamente irritante e por milésimos de segundos ficamos pensando em qual super poder deveríamos ter para dar uma boa lição no criatura que está pilotando a bendita moto.

Inclusive, agora que escrevo este texto, acabou de acontecer. Fiz o meu anjinho dormir com todo o amor do mundo e, após cinco minutos, passou um motoqueiro que fez questão de dar aqueles pipocos. Cabe a mim voltar a estaca zero e pedir a Deus muita paciência pra não pecar e acabar xingando, mesmo que em pensamento, aquela pessoa que faltou na aula do bom senso e do respeito com o próximo. Fora que, além dos bebês, prejudica também as pessoas doentes, os idosos, quando estamos no telefone e por aí vai.

Fiz pesquisas com algumas mamães e muitas relataram o mesmo problema. Além dos roncos altos das motos, algumas criticaram também os carros de propaganda, venda de produtos e carros com músicas altas (acima do permitido). 

As desculpas dos motoqueiros que alteram o escapamento das motos não justificam de forma alguma o erro. A modinha, além de irritante, é irregular. Em caso de adulteração, o Código de Trânsito prevê multa grave passível de apreensão. Hoje em dia, o mercado tem opções, dentro da lei, para quem quer um ‘ronco’ diferente na motocicleta. Tudo dentro dos padrões Inmetro.

Ao meu ver, cabe maior fiscalização e multas mais severas para aqueles que furam ou cortam os escapes. Tenho certeza que se fiscalizassem mais, a incidência iria diminuir, ao invés de aumentar, como estamos vendo acontecer.

Enquanto isso não acontece, cabe a nós tentar fechar as janelas, porta do quarto do bebê e pedir a Deus que nos dê muita calma, pois só quem passa por isso sabe o quanto é estressante.

Se você passou por alguma situação inusitada com relação ao tema de hoje da coluna ou algum outro tema específico e quer compartilhar com nossos leitores, não deixe de escrever e mandar para mim através do email: [email protected]

VEJA TAMBEM...

Siga o Arujá Reporter

12,894FãsCurtir
48SeguidoresSeguir
35InscritosInscrever
- PUBLICIDADE -

Mais lidas

- PUBLICIDADE -