PUBLICIDADE

PM, Vigilância e Procon vão fiscalizar toque de restrições

Foto: Governo do Estado de São Paulo
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Quem andar de madrugada pode ser obrigado a assinar termo circunstanciado

O toque de recolher imposto pelo governador João Doria (PSDB), entre sexta-feira (26) e 14 de março, entre 23h e 5h, para evitar a propagação do coronavírus, terá fiscalização da Polícia Militar (PM), Vigilância Sanitária e Procon.

De acordo com o coordenador do Procon, Fernando Capez, as pessoas flagradas descumprindo o toque de recolher terão que assinar termo circunstanciado, por praticar infração penal de menor potencial ofensivo. Já organizadores de eventos podem ser multados em até R$ 10 milhões.

A diretora do Centro de Vigilância Sanitária do Estado, Cristina Medig, incentivou as pessoas a informar a ocorrência de festas clandestinas e aglomerações desnecessárias. “40% das infrações constatadas pela Vigilância Sanitária são de denúncias da população”, contou. O Disque-Denúncia da pandemia é 0800-771-3541.

O governador João Doria (PSDB) afirmou que é importante que as Vigilâncias Sanitárias da prefeituras também atuem para fiscalizar o toque de recolher.

“Faremos blitze e nossas viaturas estarão informando a população”, comentou General Campos, secretário de Estado da Segurança Pública. Ele disse ainda que as pessoas podem fazer denúncias pela Central 190.

Tópicos
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
Comentários
Veja também
SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE