PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Servidor diz à CPI que houve pedido de propina para comprar vacina contra a covid-19

Foto: Pedro França/Agência Senado
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Luis Ricardo Miranda e o deputado Luis Miranda prestaram depoimento no Senado

O servidor do Ministério da Saúde, Luis Ricardo Miranda, afirmou em depoimento na CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Pandemia, no Senado Federal, nesta sexta-feira (25), que recebeu a informação de pedido de propina em negociação para compra de vacinas contra a covid-19.

Luis Ricardo e seu irmão, o deputado federal Luis Miranda (DEM-DF), foram chamados para prestar esclarecimentos sobre denúncias em relação a compra da vacina Covaxin, da Bharat Biotech, por intermediação da empresa Precisa Medicamentos.

De acordo com Luis Ricardo, que é responsável por negociações internacionais, houve pressão dos superiores para agilizar a assinatura de documentos, que estavam com informações equivocadas. Os irmãos levaram a denúncia, pessoalmente, ao presidente da República, Jair Bolsonaro. Antes do depoimento, o servidor estava em voo com 3 milhões de doses de vacinas doadas pelos Estados Unidos ao governo do Brasil.

Luis Ricardo disse aos senadores que um outro servidor, chamado Rodrigo Lima, afirmou que houve pedido de propina para liberação de imunizantes. “O ministério estava sem vacina e um colega de trabalho, Rodrigo, servidor, me disse que tinha um rapaz que vendia vacina e que esse rapaz disse que os seus, alguns gestores, estavam pedindo propina”, comentou.

O depoimento teve vários momentos de tensão, com bate-boca entre governistas e oposicionistas. O senador Marcos do Val (Podemos-ES) trocou empurrões com o deputado Luis Ricardo e foi separado por colegas.

Tópicos
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
Comentários
Veja também
SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE