26.5 C
Arujá
sexta-feira, janeiro 22, 2021
Início Política Vereadores vistoriam Maternidade para verificar se há alimentos vencidos
- PUBLICIDADE - Error: Embedded data could not be displayed.

Vereadores vistoriam Maternidade para verificar se há alimentos vencidos

- PUBLICIDADE -

Polícia Civil encontrou alimentos vencidos em uma cozinha industrial em Arujá, que seriam destinados para o hospital

Os vereadores Renato Caroba (PT) e Rogério da Padaria (PDT) realizaram uma vistoria ao prédio da Maternidade Municipal Dalila Ferreira Barbosa na manhã desta terça-feira (9). O objetivo era apurar denúncia da Polícia Civil de que alimentos estragados seriam supostamente usados no preparo de refeições servidas em unidades de saúde pública de Arujá.

No local, os vereadores foram recepcionados por diretores e profissionais do Instituto de Tecnologia e Desenvolvimento da Medicina (ITDM), organização social (OS) que assumiu em 1º de fevereiro a gestão da Maternidade e dos Prontos Atendimentos do Centro e do Barreto. Também acompanhou a diligência o secretário adjunto de Saúde, Martino José Piatto.

Os vereadores foram informados de que o contrato com uma panificadora implicada no âmbito da operação “Soldi Sporchi”, da Polícia Civil de Guarulhos, alvo das denúncias de fornecimento de alimentos estragados, fora rescindido no dia 4 de junho, logo após a operação deflagrada no dia 3.

O corpo diretivo da OS se disse surpreso com a denúncia, mas assegurou que não houve nenhum caso de intoxicação alimentar registrado desde que a empresa assumiu o serviço, ou sequer uma reclamação sobre a qualidade das refeições pelos pacientes.

Relatou ainda que as mesmas refeições servidas aos pacientes são consumidas também pelos profissionais de saúde que lá atuam, que por sua vez também não apresentaram qualquer sintoma de intoxicação.

De acordo com a diretora assistencial da ITDM, Ana Zélia, todas as refeições servidas diariamente aos pacientes passam por um rigoroso controle de qualidade e são atestadas por uma nutricionista.

Emergencial

Desde a rescisão do contrato com a empresa investigada, há cerca de uma semana, as refeições servidas aos pacientes são fornecidas em regime emergencial por um restaurante do município.

Os vereadores cobraram os laudos comprovando a salubridade das instalações do restaurante contratado, mas foram informados pelo secretário adjunto de Saúde, Martino José Piatto, de que a vistoria técnica ao local ainda não foi realizada pela vigilância sanitária.

“É fundamental que essa vistoria ocorra o quanto antes. Não podemos brincar com a segurança alimentar do povo, ainda mais depois de uma denúncia tão grave”, apelou Rogério da Padaria.

Error: Embedded data could not be displayed.

VEJA TAMBEM...

- PUBLICIDADE - Error: Embedded data could not be displayed.
- PUBLICIDADE - Error: Embedded data could not be displayed.

Mais lidas

- PUBLICIDADE -