PUBLICIDADE

Arujá planeja ação judicial contra o Estado para impedir pedágio na Mogi-Dutra

Foto: Wellington Alves
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Prefeitura aguarda posição da gestão Doria na próxima semana

O prefeito de Arujá, Luis Camargo (PSD), afirma que a gestão municipal deve ingressar com ação judicial, junto com a Prefeitura de Mogi das Cruzes, na Vara da Fazenda Pública de São Paulo, caso o Governo do Estado não recue na proposta de implantar praças de pedágio na rodovia Mogi-Dutra.

O Condemat (Consórcio dos Municípios do Alto Tietê) enviou carga ao governador João Doria (PSDB) para que as praças de pedágio, inclusas na licitação de concessão internacional da rodovia, sejam excluídas.

“Iremos aguardar a manifestação do governador, o que acreditamos que se dê em torno de 10 dias”, informou Camargo.

A correspondência foi enviada a Doria na última segunda-feira (17). Os 12 prefeitos do Alto Tietê argumentaram no documento que o novo pedágio vai dificultar o desenvolvimento da região, além de prejudicar estudantes e trabalhadores.

Arujá já possui praças de pedágio em seu trecho na rodovia Presidente Dutra, nos dois sentidos. O pedágio na Mogi-Dutra será prejudicial, principalmente, para quem for para Mogi das Cruzes.

Tópicos
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
Comentários
Veja também
SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE