PUBLICIDADE

PUBLICIDADE

Câmara forma comissão para pressionar Artesp contra pedágio na Mogi-Dutra

Foto: Imprensa/CMA
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest

Nova praça de pedágio vai prejudicar arujaenses que trabalham e estudam em Mogi das Cruzes

A Câmara de Arujá oficializou a formação de uma Comissão de Representação para acompanhamento dos estudos que visam a possível instalação de uma praça de pedágio na rodovia Mogi-Dutra (SP-88). O assunto vem sendo pauta de debates entre lideranças políticas, principalmente de Mogi das Cruzes e Arujá, que publicamente já rechaçaram a medida.

Presidente da Comissão formada no Legislativo arujaense, o vereador Abelzinho Larini (PL) também faz coro contra a proposta e já articula com a Assembleia Legislativa, por meio do deputado André do Prado (PL), uma reunião na Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp).

Para Arujá, o impacto poderá ser ainda maior considerando que muitas pessoas utilizam a rodovia todos os dias para ir à faculdade, trabalhar ou buscar atendimento em Mogi das Cruzes, cidade que é referência em vários serviços disponibilizados à população por meio do Sistema Único de Saúde (SUS).

“Essa ideia está sendo discutida desde o ano passado. Com as manifestações contrárias, arrefeceu. Mas, voltou com força esse ano; agora deu uma nova acalmada por conta de uma ação judicial”, explicou o parlamentar.

Para Abelzinho, o Governo do Estado tenta enganar a população ao se colocar em uma posição de submissão à Artesp. “Vamos lutar até o fim para que Arujá não tenha esse pedágio”.

Também integram a Comissão Contra o Pedágio da Câmara de Arujá os vereadores Reynaldinho (PTB) como vice-presidente, João Luiz Soares (PSD) como relator, além dos membros Vinícius Pateta (Rede), Renan de Arujá (PODE) e Genilson Moto (PT).

Tópicos
Compartilhe
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin
Share on pinterest
Comentários
Veja também
SIGA O ARUJÁ REPÓRTER

PUBLICIDADE